La Pecera no Brasil

Seção em língua portuguesa dirigida por Sergio Taváres

Jorge Hoffmann Wolff  ou Joca Wolff, 1965. Possui graduação em Filosofia (1993), mestrado em Teoria Literária (1997) e doutorado em Teoria Literária (2002) pela Universidade Federal de Santa Catarina. É professor adjunto de Literatura Brasileira da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Teoria Literária e Literatura Brasileira, atuando principalmente nos seguintes temas: crítica cultural, crítica literária e teoria da modernidade. É membro do Núcleo de Estudos Literários e Culturais (NELIC) e do Núcleo Juan Carlos Onetti de Estudos Literários Latino-americanos, ambos da UFSC.

Alberto Bresciani nasceu no Rio de Janeiro. Vive em Brasília. É autor de Incompleto movimento (José Olympio Editora, 2011), Sem passagem para Barcelona (José Olympio Editora, 2015, finalista do prêmio APCA de Literatura - Poesia de 2015), Fundamentos de ventilação e apneia (Editora Patuá, 2019) e Hidroavião (Editora Patuá, 2020). Integra, entre outras, as antologias Outras ruminações (Dobra editorial, 2014), Hiperconexões (Editora Patuá, 2014), Pássaro liberto (Scortecci Editora, 2015), Pessoa – Littérature brésilienne contemporaine (Revista Pessoa, édition spéciale – Salon du Livre de Paris, 2015) e Escriptonita (Editora Patuá, 2016). Tem poemas publicados em portais, blogs e sítios da internet e em revistas e jornais impressos.

Gustavo Melo Czekster é formado em Direito pela PUC-RS, mestre em Letras (Literatura Comparada) pela UFRGS e doutorando em Escrita Criativa pela PUC-RS. É palestrante de temas ligados à literatura, resenhista de sites e ministrante de oficinas literárias. É escritor, autor de dois livros de contos: “O homem despedaçado” (2013) e “Não há amanhã” (2017). Com o segundo livro, foi vencedor do prêmio Açorianos 2017 (categoria Contos), do prêmio AGES de Literatura (categoria Contos e categoria Livro do Ano) e do prêmio Minuano de Literatura (categoria Contos), tendo sido finalista do Prêmio Jabuti 2018 (categoria Contos).

“O eterno expresso” foi um dos contos vencedores do 1º Concurso de Contos Brasil-Itália, organizado pelo Comitato degli stranieri all'Estero de São Paulo,em 2016.  A autora conquistou o Prêmio Sesc de Literatura com seu romance de estreia "As netas da Ema" (Record, 2005). Seus contos foram reunidos na coletânea “Harém”, publicada pela Patuá (2016) e atualmente disponível na plataforma Kindle (Amazon). Publicou seu segundo romance em 2019, “Para você nunca se esquecer de mim” (Kindle/Amazon). Nasceu e vive na cidade de São Paulo (SP). Site: www.eugeniazerbini.com

Cinthia Kriemler é carioca e mora em Brasília. Autora, pela Editora Patuá, de O sêmen do rinoceronte branco (Contos, 2020); Tudo que morde pede socorro (Romance, 2019);  Exercício de leitura de mulheres loucas (Poesia, 2018); Todos os abismos convidam para um mergulho (Romance, 2017), finalista do Prêmio São Paulo de Literatura de 2018; Na escuridão não existe cor-de-rosa (Contos, 2015), semifinalista do Prêmio Oceanos 2016; Sob os escombros (Contos, 2014); e Do todo que me cerca (Crônicas, 2012). Participa de antologias de contos e de poesia. Tem textos e poemas publicados em diversas revistas eletrônicas.

Se em “Tradução das manhãs” e “O livro das mãos” (vencedores em 2014 e 2018 do Prêmio Glória de Sant’Anna 2018) Gisela Gracias Ramos Rosa já vinha pronunciando o seu rigor formal e a economia de meios como recursos para sua pulsação poética, em “A pedra e o corpo” a autora radicaliza seu estilete, ao conformar uma obra ainda mais burilada e reduzida ao essencial, naquilo que ela persegue desde sempre: a comunicação plena sem rodeios verbais ou adereços de qualquer espécie.

Carlos Eduardo Pereira nasceu no Rio de Janeiro, em 1973. Cursou História, na UFRJ, e Letras, na PUC-Rio. É autor do romance “Enquanto os dentes” (Todavia, 2017), semifinalista do Prêmio Oceanos e finalista do Prêmio São Paulo de Literatura.

Ana Maria Rodrigues Oliveira nasceu a 17 de Fevereiro de 1960, em Portugal, no Alto Alentejo no distrito de Portalegre e concelho de Castelo de Vide.

Antes de completar um ano de idade veio com os pais viver para a zona de Cascais e aí tem vivido desde então.

Em 1986 finalizou a licenciatura em Filosofia na Faculdade de Ciências sociais e humanas de Lisboa. Licenciatura que lhe permitiu dar aulas de filosofia durante alguns anos.

Edita o seu primeiro livro de poesia em 2008 através da Corpos Editora “Grito de liberdade”. Este livro é uma forma de partilhar emoções e vivências, encarando a poesia como uma catarse. Dedica este livro a todas as mulheres, pela luta e determinação com que enfrentam as adversidades de uma sociedade que ainda manipula e escraviza.

Itamar Vieira Junior nasceu em Salvador. É autor da coletânea de contos “A oração do carrasco” (2017), finalista do Prêmio Jabuti de Literatura. Tem contos traduzidos e publicados em revistas especializadas na França e EUA. Seu mais recente trabalho é o romance “Torto Arado”, vencedor do prestigiado Prêmio LeYa 2018.

*João Meirelles  Filho, 58 anos, é escritor e ativista socioambiental. Nascido em São Paulo, SP,  há 14 anos, vive em Belém, Pará, Amazônia. Como escritor, é autor de 17 livros, com destaque para “O Abridor de Letras”, Record, 2017 (Prêmio SESC de Literatura – Contos); e ensaios sobre a Amazônia, como “Grandes Expedições à Amazônia Brasileira”, 2 vol. Editora Metalivros (2009 e 2011); e “Livro de Ouro da Amazônia” (Ediouro, 2004). Como ativista socioambiental, há 33 anos atua no terceiro setor, 20 dos quais à frente do Instituto Peabiru, organização que trabalha nos nove estados da Amazônia Brasileira.

1 / 1

Please reload

O    A P L I C A T I V O    D O S    S O N H O S por Carlos Felipe Moisés